​Psicoterapia para Adolescentes

Adolescência é uma fase do desenvolvimento de grandes transformações. Essa fase que intermedia a idade infantil do momento adulto é repleta de mudanças no corpo e nas relações. É nessa época que se iniciam os relacionamentos amorosos, quando ocorre maior vivência da sexualidade e alterações hormonais. Também é nela que se encontram grandes tomadas de decisão, como a da profissão, consequentemente do curso universitário e da faculdade a seguir, se perto ou longe de casa. Momentos difíceis para alguém que não tem ainda maturidade emocional ou cerebral suficiente para lidar com responsabilidades como completar o Ensino Médio, prestar o Enem e os vestibulares, tudo ao mesmo tempo. Não bastasse, esta costuma ser também uma fase de intensa movimentação nos relacionamentos de amizade, com sua competitividade, vivências de inclusão e exclusão. Para os pais é também uma época complicada, muitas vezes cheia de conflitos, em que fica difícil saber o que é normal pelo momento e o que está disfuncional. É quando os filhos começam a sair sem a companhia dos pais e frequentar a vida noturna, expondo-se mais aos perigos do mundo, inclusive às drogas.

 

Para muitos jovens ainda existe a experiência dos intercâmbios, que para alguns pode ser somente um momento de diversão sem comprometimento, onde os pais só gastam, sem que se possa chamar de investimento, mas para muitos pode ser uma experiência de fato positiva em termos de aprendizado e amadurecimento. 

 

Ainda temos a delicadeza da fase adaptativa da volta. Com tantas vivências novas, é compreensível o surgimento de conflitos internos, que em maior escala podem configurar um quadro ansioso ou depressivo. Requer bastante atenção dos pais, pois o índice de suicídio na adolescência não é pequeno. Contudo, é complicado estar atento ao filho quando este se fecha para os pais, que tentam acessá-lo muitas vezes sem sucesso. A faixa etária que determina a fase da adolescência vem mudando com o passar dos tempos. Muitas pessoas podem estar com 25 anos de idade, mas ainda morando com os pais e não trabalhando, para muitos nem conseguindo se formar academicamente, ou seja, totalmente dependentes dos pais. Podemos dizer que a entrada na vida adulta de fato só se inicia quando a pessoa já atingiu um mínimo de independência e responsabilidade, o que não é a idade cronológica que vai determinar.

© 2020 - Rosimeire Balog Wancelotti - Psicóloga - CRP-SP: 06/81722

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram ícone social